terça-feira, 31 de janeiro de 2006

Eu consumo, tu consomes, ele consome...

Por Leonardo André
.
Alguém aí duvidaria que vivemos a Era do Consumo? Espero que ninguém duvide disso! O consumo tem sido o motivo da existência para muitas, muitíssimas almas. Dentre os diversos males do consumo inveterado, o que considero mais perverso é o fortalecimento de uma poderosa elite, pois quanto mais consumimos, mais dinheiro entregamos de mãos beijadas aos donos do capital. A conseqüência desse processo é o aprofundamento das [desigualdades sociais]. Apesar da aparência, não me refiro a famigerada luta de classes, pois a impressão que tenho é que essa luta não existe efetivamente.

Hoje não é impossível as classes menos favorecidas terem acesso a celulares, computadores e etc. Basta a qualquer pessoa ter uma fonte de renda e um carnê que o maravilhoso mundo dos chips e luzinhas coloridas abre suas portas. As pessoas se encantam e puf!, já se entregaram, sem luta alguma.

Pensem no seguinte ciclo: a grande indústria já engoliu seus pequenos e indefesos concorrentes; seus negócios prosperam alimentando a financeirização da economia mundial, afinal são os bancos que recebem carinhosamente os lucros delas; essas super empresas e seus super conglomerados instalam sua produção nos países que mais lhes oferecerem vantagens, como isenção de impostos, mão-de-obra barata e etc; empregam milhares de pessoas pagando um salário assim ó, bem pequenininho; esses felizes empregados mergulhados na atmosfera do consumo, correm pra comprar o que viram nos anúncios da tv, do outdoor, da novela, da revista de fofoca e etc; mas com o salário pequenininho que eles recebem não dá pra comprar quase nada; e agora? Eles vão se matar porque não tem grana? Vão quebrar tudo pra tomar o poder!?... Nada disso! (quer dizer, alguns resolvem ser bandidos malvados que roubam, seqüestram e etc, mas nada de revolucionário, pois esses aí também querem dinheiro pra gastar no shopping), mas, voltando ao “cidadão de bem”, lembra do carnê? Pois é, isso mesmo. Os lucros das mega empresas estão guardadinhos no banco e serão emprestados À JUROS pro pobre plebeu comprar seu celular novinho que toca musiquinha do jabá da rádio, tira foto e tudo mais!

Aí, o meu caro amigo leitor exclama:

– Nossa! Como essas empresas sabem se apoderar do meu dinheiro, hein!!
Espantoso! Os caras investem em tecnologia e depois em propaganda; te deixam babando nas vitrines, e aí? Hã? Te emprestam o dinheiro que você mesmo deu a eles através do suor de seu trabalho e do pagamento dos juros do carnê que você paga todo mês religiosamente (ou nem tanto...) e investem esse mesmo dinheiro (amplificado pelos juros, é claro) em mais tecnologia e mais propaganda.



Um bocado de gente leva vantagem nesse ciclo, mas com certeza você é o que leva menos, por que você se mata de trabalhar e gasta o pouco tempo que lhe sobra bebendo com os amigos e não cria nada, afinal de contas você também é filho de Deus e tem direito a um lazer! Sua vida é só consumir, consumir, consumir... E você nem percebe que está sendo consumido também.
.
E cadê a luta de classes meu caro intelectual? Me explica que eu não tô entendendo.

Pois é, enquanto isso a população cresce, cresce, cresce... E em seu bojo o número de ricos cresce bem devagarzinho enquanto o número de fodidos cresce de montão!
______
Leia abaixo uma variação do mesmo tema sem sair do tom:
***

Nenhum comentário: