quinta-feira, 4 de janeiro de 2007

Democracia se faz através do diálogo

Na postagem anterior, mostramos o exemplo de um grupo de pessoas que encontraram um meio para participar ativamente da sociedade, buscando soluções para problemas de sua região de origem. Perceberam que o melhor caminho para realizar seus projetos é o diálogo e a conversa, pois assim podem estimular a conscientização e o espírito de cooperação entre pessoas com as quais convivem, direta ou indiretamente, no dia-a-dia.
Quando falamos em “pular o muro”, refletimos idéias como a de Maurício Tragtenberg*, quando diz que a “aquisição do saber deve ser acompanhada da reflexão crítica sobre o mesmo, pois o ideal não é fabricar ‘quadros’ dóceis, submetidos às baterias de testes das empresas privadas, mas homens que vivem as duas dimensões da liberdade: a inserção na sociedade e sua crítica simultânea. O princípio de autoridade na Universidade deve fundar-se no saber e capacidade produtiva; o que ultrapasse isso é autoritarismo grosseiro”. Acreditamos que essa é a responsabilidade que todos aqueles que têm acesso a Universidade devem assumir.
Isso significa dizer que a Universidade não deve apenas utilizar o discurso sobre a democracia. A Universidade, assim como o sistema de ensino em geral, deve proporcionar um ambiente favorável à democracia. Como diz Noam Chompsky**, os alunos “não devem ser vistos como uma mera audiência, mas como fazendo parte de uma comunidade de interesse partilhado, na qual esperamos poder participar de um modo construtivo. Não devemos falar para, mas com. Isso é algo que já se tornou uma segunda natureza em qualquer bom professor, e também o deveria ser em qualquer escritor ou intelectual”. Ainda segundo Noam Chompsky, “qualquer escola que tenha de impor o ensino da democracia já é suspeita. Quanto menos democrática é uma escola, mais necessidade tem de ensinar idéias democráticas. Se as escolas fossem realmente democráticas, no sentido de oferecerem às crianças as oportunidades de terem a experiência da democracia na prática, não sentiriam a necessidade de as doutrinar com lugares-comuns sobre a democracia.”
Enfim, acreditamos que o ideal seria que as instituições de ensino incentivassem as pessoas a estudar e a investigar, desenvolvendo um processo de descoberta da verdade por elas próprias. Para isso, não pregamos apenas que a estrutura escolar seja realmente democrática, mas que o acesso ao ensino, do fundamental ao superior, seja democratizado. Mais uma vez pra marcar: Democracia de verdade só se faz através do diálogo.

_________

Notas:

*autor do artigo “
Os caminhos da democratização da Universidade” que recebi pela lista de e-mails dos alunos da faculdade onde acabo de me formar.
**
artigo que encontrei através do blog “Diário de um Sociólogo”.
____
imagem: Eric Drooker

***

4 comentários:

cris disse...

FELIZ PULA O MURO NOVO

Carlos Serra disse...

Coloquei o seu endereço nos meus elos. Feliz 2007!

nóis! disse...

Valeu Cris!!

léo

nóis! disse...

Carlos, é um prazer estar presente no Diário de um Sociólogo! Um ótimo 2007 pra ti também!

Abraço!