quinta-feira, 18 de janeiro de 2007

Sobre os "sem-noção"

Às vezes eu fico impressionado com a falta de noção das pessoas. A televisão é um meio farto desse tipo de gente.

A empresa em que trabalho disponibiliza aos funcionários uma copa/cozinha para aqueles que preferem trazer o rango de casa ou, como no meu caso, buscar alguma gororoba da rua. Todas as quartas costumo buscar uns pastéis na feira que fica próxima ao meu nobre local de labuta, para almoçar junto com os demais colegas. Temos uma televisão para assistir enquanto almoçamos. Com TV a cabo, inclusive. Mesmo com tantos canais disponíveis, a galera prefere ver o SPTV, na Rede Grobo, apresentado pelo simpático Chico Pinheiro.

Na última quarta-feira, cheguei com meus pastéis no exato instante em que passava uma reportagem sobre a sensação do momento (para o jornalismo, é claro): A Cratera de Pinheiros. A tal reportagem citava o caso de vendedores ambulantes que estão se aproveitando da curiosidade do povo pra vender bugigangas nas proximidades do mais novo buraco da cidade.

Nosso amigo, Chico Pinheiro, não poderia deixar de tecer seus comentários a respeito da inusitada situação, expondo toda sua indignação. Pra ele, aquilo é o fim do mundo, pois ele não entende como as pessoas podem ser tão curiosas a ponto de ir ver de perto a desgraça alheia e, muito menos, o fato de ter gente (os ambulantes) ganhando um dinheirinho extra com o ocorrido...

Fiquei com vontade de mandar pra ele, de presente, o livro “Sobre a Televisão” de Pierre Bourdieu, pra ver se ele cai na real sobre a “mentalidade-índice-de-audiência” que envolve o glorioso ofício jornalístico. Desde o dia do acidente, o SPTV, assim como a quase totalidade dos jornais e telejornais, não fala de outra coisa! Ora essa, amigo Chico, quem é que mais tem lucrado com essa e com tantas outras desgraças que ocorrem em São Paulo, no Rio de Janeiro e no mundo inteiro!? Desgraças como essa são mercadorias valiosíssimas para essas agências de notícias e seus interesses “ocultos”. Não custa nada pensar um pouco antes de falar (e nem depois de ouvir...).


_____
ilustração: Street Art Workers

***

2 comentários:

Vives disse...

O pessoal dos jornais também adoram entrevistar parentes das vítimas logo após elas descobrirem que perderem o ente querido, com perguntas como "O que você está sentindo?" ao vivo.
Ah, e o Tevez é bonitão, vai.
Abraço, rapá.

Anônimo disse...

Ah Leo...é assim mesmo, cara.
Eu até acho que a rede Hlobo dessa vez pegiu leve em comparação a Record: tava dificil,porque a emissora que herdou o espírito "Aqui Agora", ficou o fim de semana inteiro sem programação, só passando sobre a cratera. É mole?