sexta-feira, 24 de outubro de 2008

O caso Eloá, parte II - a Mídia é bizarra.

Olha só o naipe do e-mail que eu recebi de uma amiga mineira. É sinistro, meu irmão... é sinistro. Começou com essa tira:





Daí a pessoa, cuja autoria do e-mail é por mim desconhecida, manda o recado:

“A população brasileira ainda está comovida com a tragédia ocorrida em Santo André. Eu confesso que fiquei bem abalado com o caso, porém algumas coisas me deixaram mais indignado ainda, como por exemplo, a forte exposição da mídia sobre a ação dos PM’s.”

E indignado com uma notícia sobre a amiga Nayara, disponibiliza no e-mail link pra seguinte matéria:

Nayara pede visita do jogador Alexandre Pato

Vejamos, uma pessoa morreu e os envolvidos tornam-se celebridades. A melhor hora pra discutirmos o valor da vida humana e as razões que levam as pessoas a entenderem-se como coisas está sendo desperdiçada com bobagens, fofocas e piadas.

Por exemplo, o pai da Eloá, pelo que dizem os jornais, matou uma ex-mulher. Por que, diabos, Eloá escolheu um namorado com instintos tão semelhantes aos do pai? Coincidência ou reprodução de um modelo?

A Mídia, onipresente que é, poderia ser mais produtiva se procurasse colaborar para o desenvolvimento humano da população. Mas, aparentemente, a Mídia é tão despreparada quanto a equipe responsável pelo resgate.

Quem disparou esse e-mail já começou a se dar conta disso.


***

Um comentário:

claudiana disse...

Estou profundamente impressionada com post. Absurdo! A única que tenho a dizer... e ah! A mídia, não é onipresente, pra mim, é interesseira