terça-feira, 6 de janeiro de 2009

FIM DE ANO NA PRAIA

por Júlio Canuto
É costume em nosso país todo fim de ano as pessoas passarem as festividades no nosso maravilhoso litoral. Em todos os estados, pessoas se deslocam das cidades interioranas para as praias. De início o que se vê são enormes congestionamentos, mas isso não estraga o bom humor de nosso povo, tão animado por mais este rito de passagem.

E assim, com toda essa alegria, milhões de pessoas descem a serra e chegam ao litoral, abrindo suas casas de veraneio à família e amigos. A população dessas cidades se multiplica nesta época, sendo o maior exemplo disso as cidades do litoral sul de São Paulo, como Mongaguá, Praia Grande, Peruíbe, São Vicente etc.

Na praia as famílias se instalam, com guarda-sóis, barracas, cangas, esteiras, cadeiras, caixas de isopor, cervejas, lanches e toda a sorte de comidas e bebidas que trazem e compram na areia. Aliás, esta é uma ótima época para a economia das cidades praianas. Todo tipo de comércio enche.
O problema é que descem as pessoas e descem também seus costumes. Os jovens passeiam de carro com seus alto falantes na potência máxima, seus funks, axés e tudo mais que faça as pessoas dançarem. E quando vão à praia é fácil saber dos gostos destes turistas. Vejam...

Para se refrescarem, preferem H2OH:



As crianças preferem picolé:


Famílias preferem refrigerante:


Algumas mocinhas gostam de geladinho:
Homens preferem cerveja, mulheres preferem batidas, sempre em copos descartáveis - é lei !:
Gostam de comer churrasco, salgadinhos, balas e milho:


E conscientes, levam sacolas para depositarem o lixo gerado em seu agravável passeio de verão:



E ao final levam recordações e fotos, deixam muito lixo mas nenhuma saudade.



OBS.: As fotos acima foram tiradas em Mongaguá, dia 31/12/2008, em 5 minutos de caminhada. Se eu fosse procurar as variedades de resíduos que os turistas deixam na areia, o que mais poderia encontrar?

2 comentários:

Vives disse...

Assino embaixo. Eu nunca havia passado um reveillon na praia. Esse ano virei em Ubatuba, e não quero repetir a experiência sobretudo pelos motivos que você apresentou. Bola branca.

Claudiana disse...

"À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo"
Bom Ano, Pula o Muro!