quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Oportunidades em época de crises III: situação e ações na França

Por Julio Canuto.
.
A amiga Stella Maia, brasileira, que mora há 30 anos na França, enviou a resposta mais completa dentre as três que serão publicadas. A resposta veio no mesmo dia do meu questionamento, em 15 de maio. Peço desculpas pela demora em publicá-la. Ainda assim é um texto bastante esclarecedor.
.
Antes, alguns dados sobre a França:
.
* 8a. economia do mundo (o Brasil é a 9a.), segundo o FMI: Indicadores de Desenvolvimento Mundial, de 15/09/2009 (PIB - Produto Interno Bruto em milhões de dólares);
*8o. país no ranking de IDH - Índice de Desenvolvimento Humano (o Brasil é o 75o.), da ONU - Organização das Nações Unidas de 05/10/2009 - dados relativos a 2007 ;
*População estimada de 64,5 milhões de habitantes;
*Superfície de 675 417 km² ;

A Alemanha é (junto com toda a Escandinávia) o pais mais ECOLÓGICO da Europa, então acredito que o esquema la esteja mais ativo ainda. A retomada de consciência já começou ha uns 4 ou 5 anos atrás!
.
Aqui na Europa usa-se muita energia NUCLEAR (da qual a França é a maior produtora). A preocupação com a biodiversidade é uma realidade Européia. Aqui na França, por exemplo, o governo está dando incentivos e reduzindo fortemente impostos de TODA PESSOA que investe em energia renovável, desde o aquecimento das casas, às menores kilometragens: TODAS AS HIPÓTESES POSSIVEIS são aplicadas com o objetivo de diminuir o consumo de energia poluente em pelo menos 25% até final de 2010.

Algo muito interessante sobre a questão energética são os painéis solares que a própria EDF (companhia elétrica da França), compra dos particulares. Por exemplo, você coloca na sua casa, no telhado, os painéis solares (custam caro, mas há desconto de imposto para quem investe neles). Você então produz eletricidade para a EDF e consome sua energia normalmente, além do que a EDF ainda te paga pela energia que você fabricou.

Descobriu-se que a obesidade mata: campanhas e mais campanhas para ensinar o povo a "comer corretamente".

Pelos carros fabricados e empacados o governo oferece € 1000, para que as pessoas que tenham carros poluentes comprem os novos. Também existe uma taxa que as pessoas pagam em função de ter carros mais ou menos cilindrados, que poluem mais ou menos.

Existem campanhas de educação e condicionamento CONSTANTES (tudo aqui se faz na base de educar em prioridade) e vai a tal requinte que, agora, as crianças desde o jardim de infância estão aprendendo sobre o gosto, os nutrimentos e os modos BIO de se nutrir. Um exemplo mais recente é que um grande número de pessoas (cada dia mais) estão comprando a alimentação direto do produtor (o que é de alimento vegetal ). Aqui tudo é regulamentado, os pescadores têm limite para pescar etc, etc e tudo controlado pelo Parlamento Europeu.

As embalagens são repudiadas, já não existem mais sacos plásticos nos mercados e na Alemanha (especialmente) os fins de semana são vazios de carros.

Tudo isso passa por uma espécie de “martelação” na cabeça das pessoas (via TV ou via radio = uma música + um debate). Nas TVs daqui existe muita "formação". Ex.: existem programas de medicina todos os dias para que as pessoas aprendam um mínimo para evitar doenças que custam caro ao Estado.

Existe ha algum tempo (antes da crise) uma forte campanha que esta crescendo dia a dia: Campanha ANTI-CRESCIMENTO.

Mas o mais interessante é o aspecto cultural: eles não abandonam nunca as próprias tradições. As modernidades "USA" ou Chinesas chegam aqui, mas o organismo de proteção ao consumidor tem uma força enorme! Quando a denúncia parte, os tribunais se abrem.... Tem-se que dizer que Francês, especificamente, têm uma alma revolucionária. Toda semana estão nas ruas fazendo algum protesto.

Hoje de manhã tivemos a notícia que entramos em RECESÃO! O consumo está baixíssimo, as dívidas públicas vão ficar ENORMES porque o sistema social daqui é o mais protetor que existe. Atualmente existe muito debate sobre a "falência" do capitalismo, porque, acredita-se, essa crise AINDA NAO MOSTROU o PIOR que esta por vir.

Enfim, o mundo inteiro criticou, sobretudo a França, por ter um sistema SOCIAL tão protecionista (Viva o liberal...Viva o capitalismo....!!), mas justamente HOJE que a recessão foi constatada, na Europa inteira, é justamente a França que esta numa melhor posição porque as pessoas que recebem as "pensões" e ajudas sociais continuam a consumir (pouco mas positivamente).

Não há retomada de consumo por aqui, mas o verão está chegando, o consumo desenfreado vai voltar! O crédito aqui não é como no Brasil, aqui tudo é controlado! As poucas pessoas que estão endividadas porque perderam os empregos são imediatamente assistidas por organismos públicos, com juristas, assistentes sociais, etc. (dica de leitura: Jacques Attali)

O grande temor aqui atualmente é uma "ameaça" de revolução popular (já aconteceu várias vezes na história francesa). As usinas "francesas" pertencendo agora a acionários americanos, estão fechando uma atrás da outra (mudando para outros locais), a lista dos desempregados aumentando a cada dia e o ódio com os benefícios que os patrões estão levando com eles.

O ruim nisso tudo é que na Europa há muito racismo, com a crise e o desemprego a XENOFOBIA vai se espalhando.
_______________________
Na próxima postagem continuaremos na Europa, só que na Suíça.

2 comentários:

Stella Maia disse...

Julio,
desde entao algumas coisas mudaram, o deficit esta grande mas a proteçao social continua sendo feita impecavelmente. O governo obteve da Suiça, nomes de franceses ricos que guardavam as poupanças nos bancos de la e negocia a nao os penalisar desde que o $$$ seja rapatriado.
Estamos vivendo um momento muito interessante.

Marcello disse...

Fico feliz em saber que há avanços positivos no combate à nossa "autodestruição".
abraços