quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Parlamentar para lamentar

por Julio Canuto e Leonardo André

O fato ocorreu há mais de um mês, exatamente no dia 21 de dezembro de 2010, porém o momento é propício para relembrá-lo. Os "digníssimos" senadores deveriam dar ouvidos ao discurso de Dom Manuel Edmílson Cruz, bispo emérito de Limoeiro do Norte, no Ceará, que recusou a Comenda de Direitos Humanos Dom Hélder Câmara, concedida pelo Senado. O motivo da recusa foi o aumento de 61% que os parlamentares aprovaram para eles mesmo, no dia 15 de dezembro.

Em seu discurso, Dom Manuel disse que, apesar de feliz com a honrosa homenagem, o prêmio o fez refletir: "Precatórios que se arrastam por décadas; aposentados, idosos com suas aposentadorias reduzidas; salários mínimos que crescem em ritmo de lesmas..." E seguiu:
Pois é exatamente neste momento que o Congresso Nacional aprova o aumento de 61% dos honorários de seus Parlamentares que em poucos minutos chegam a essa decisão e ao efeito cascata resultante e o impõe ao povo brasileiro, o seu, o nosso povo. O povo brasileiro, hoje de concidadãos e concidadãs, ainda os considera Parlamentares? Graças ao bom Deus há exceções decerto em tudo isso. (...) Quem assim procedeu não é Parlamentar. É para lamentar.
Nas considerações finais, Dom Manuel assim falou:

Sinto-me primeiro, perplexo; depois, decidido. A condecoração hoje outorgada não representa a pessoa do cearense maior que foi Dom Helder Camara. Desfigura-a, porém. Sem ressentimentos e agindo por amor e por respeito a todos os Senhores a Senhoras, pelos quais oro todos os dias, só me resta uma atitude: recusá-la! Ela é um atentado, uma afronta ao povo brasileiro, ao cidadão, a cidadã contribuintes para o bem de todos com o suor de seu rosto e a dignidade do seu trabalho. É seu direito exigir justiça e eqüidade em se tratando de honorários e de salários. Se é seu direito e eu aceitar, estou procedendo contra os Direitos Humanos. Perderia todo o sentido este momento histórico.
Infelizmente, no dia deste dircurso havia poucos parlamentares no Senado. Mesmo assim, o bispo impôs um grande e merecido constrangimento ao Senado Federal. Agora, porém, no momento em que este mesmo Senado impõe mais um constrangimento ao povo, com a reeleição de José Sarney para a sua presidência, e ignora os protestos da sociedade contra o absurdo reajuste, vamos reavivar a reflexão de Dom Manuel.

Clique [AQUI] para ler o discurso na íntegra.
Abaixo o vídeo com o discurso.


__________________
Bispo recusa comenda em Plenário em protesto contra aumento salarial de parlamentares (AGÊNCIA SENADO, 21/12/2010).

2 comentários:

léo disse...

60 e tantos porcento, verdade seja dita, é beeeeem desproposital, fala aí.

PuLa O mUrO disse...

Beeeeeem desproposital.

Porém, este aumento de 61,83% para os parlamentares (deputados e senadores)foi o mais modesto. O Presidente da República teve aumento de 133,96%, o Vice-Presidente e ministros de Estado tiveram aumento de 148,63%.

Com isso, todos passaram a receber R$26.723,13, que é o salário dos ministros do STF e teto do funcionalismo público. É uma maravilha: ACABARAM COM A DESIGUALDADE - entre eles!

Isso sem contar todas mordomias pagas pelo contribuinte: auxílio moradia, carro, passagens aéreas, cartão, uma altíssima verba para o gabinete, entre outras.

É fião, lembra dessa? http://pulaomuro.blogspot.com/2010/12/festa-de-fim-de-ano-da-empresa.html
Fiz umas contas e achei tão absurdo que conferi várias vezes pensando que estava errado. Errado, porém, tá todo nosso país.

Abraço.

Julio