sexta-feira, 4 de março de 2011

Curta Sexta Curta 16: Produção em Cadeia

por Julio Canuto

O Curta Sexta Curta de hoje apresenta o documentário Produção em Cadeia, que traz um assunto muito importante atualmente, qual seja, a questão dos direitos autorais frente a liberdade de expressão, conhecimento e reprodução que a internet trouxe.

No documentário discute-se a difusão da música no Brasil, e é constituído de entrevistas com artistas e cientistas sociais (uma foi nossa professora da graduação na ESP, Márcia Tosta Dias) onde se fala sobre os impactos da internet para a produção musical e da resistência das gravadoras em aceitar a livre circulação da arte musical.

A discussão em torno da liberdade oferecida com a internet vai além das produções artísticas e, como já foi apontado em postagens anteriores, tem influenciado diretamente no poder mundial, haja vista a quantidade de informações disponibilizadas pelos blogs, a quantidade de leitores destes, bem como a aproximação entre pessoas através das redes sociais. Falando especificamente sobre música, há cinco anos este blog publicou uma nota sobre o assunto (já em seus primeiros meses), colocando o problema de forma suscinta, citando o creative commons como um meio termo nesta guerra de visões sobre o que é crime e o que é direito. Copyleft ou ECAD?


nossa sociedade transforma qualquer coisa que produz em mercadoria. A cultura e o conhecimento não fogem à essa regra. E então surge o dilema: de um lado o criador, que pode ganhar dinheiro com sua obra; de outro o cidadão que tem direito à cultura e ao conhecimento. E além deles ainda existem os intermediários: as editoras e gravadoras sedentas por lucro. A saída pra quem não tem grana tem sido a pirataria, e isso é crime (apesar de que negar cultura e conhecimento não...) (ANDRÉ, Leonardo. Socializando Cultura e Conhecimento. Pula o  Muro. 03/11/2005).
O assunto é polêmico e, de fato, envolve questões de poder, pois a mídia se transformou num quarto poder, creio eu, o mais poderoso de todos. Embora esteja perdendo sua força para meios de comunicação alternativos (dividindo espaço e atenções). Voltaremos a falar do assunto. Por enquanto, fiquem com o vídeo, extraído do vimeo (assim como todo o texto a partir deste ponto).

Ano 2010
Duração 31 minutos
Realização João Mello, Victor Sousa e Maurício Kenji
Upload Paulo Marcondes

Link para download (avi, 720x480, XVID): megaupload.com/​?d=12NP1UWA
Capa (google docs): migre.me/​3XOup

Errata: o endereço correto do blog que aparece no vídeo é: hominiscanidae.org

Quem é o dono da ideia? Até onde a internet subverte o sistema? Fazer música é crime? Ouvir música é crime? Cobrar é crime? A música é tangível ou intangível? A música é um produto? O que é ilícito? Por que é ilícito? Pra quem é ilícito? MP3 dá câncer na orelha? Uma música é feita pra que? Daonde veio a ideia? Pra onde vai a ideia? Até onde ela tem permissão pra ir? Existe propriedade intelectual? O que motiva as leis? O que motiva os crimes? Quais contradições são eternas? O direito autoral protege o artista? Protege de quem? Quais contradições acabarão nos próximos 100 anos? Quem copia de quem? Quem cola de quem? A criatividade tem preço? A criatividade tem começo?

Assista. Responda. Repasse. Recorte. Copie. Pirateie. Amplie. Leve adiante.

PRODUÇÃO EM CADEIA


Produção em Cadeia from Produção em Cadeia on Vimeo.

2 comentários:

Re Santana disse...

"Produção em Cadeia" é um documetário problematizador, que traz dezenas de questões que devem ser pensadas.
Inicialmente 2 questões me chamaram atenção e gostaria de compartilhar com o P.O.M., são:

1º)Veículos como, rádio, vinil, cd, internet e outros não tem a ver com a qualidade artística das produções musicais.Estes fazem um papel de difusor, mas, a força motriz é a econômica que se escondem por de trás deste veículos e manipulam o que a massa tem ouvir e o quanto devem ouvir.Então indenpendente da tecnologia em questão a análise deve ser enquanto à "indústria" e não o "produto".
2º)Este segundo ponto tem a ver com o 1º.O músico KL-Jay diz no video , que num aguenta vê seu filho baixar tanta música, "é muita música" , diz ele.Nesta fala, eu penso que um dos problemas nesta nova mídia(internet)seja justamente a rapidez de escoar sua produção musical. Em apenas 1 hora se tem 300 músicas pra ouvir. Onde fica a fruição? Como apreciar uma música com mais 299 pra ouvir?A necessidade de ouvir muita música não permite!
Mas questões como estas podem ser minimizadas como colocada por Arlindo Cruz, ao dizer que numa roda de samba entre uma feijoada e um batuque o lugar da musica esta garantido.
E é neste ritual místico, que eu espero que seja louvado estética da música em especial,a brasileria.

léo disse...

"A gente tem é que alimentar a cadeia produtiva ao invés de colocar a produção na cadeia!"

... ao final do vídeo, o Gog resume bem o que eu penso sobre o tema dos direitos autorais!