quinta-feira, 5 de abril de 2012

Ideias para a Educação I - Xangai

por Julio Canuto


Na postagem anterior, publicada ha quase um mês, falamos sobre a Educação no Brasil, condição para real desenvolvimento da população, mas que infelizmente anda muito afastada do debate político predominante entre a chamada esquerda e direita brasileira, que no Brasil estão totalmente vazios de conceito. Na mesma postagem falei sobre a série intitulada "Destino: Educação", realizada pelo Canal Futura e o Serviço Social da Indústria (SESI), agora acrescentando que conta com com consultoria da educadora Maria Helena Guimarães de Castro e também do Todos pela Educação e da Comunidade Educativa (Cedac). Pois bem, passamos agora a postar todos os programas da série, um por postagem, com rápidos comentários e chamando a todos para a discussão, pois o objetivo da série é justamente "provocar a reflexão, não mostrar fórmulas prontas".


A equipe que realizou a série visitou seis lugares: Xangai, primeira colocada no PISA; Finlândia, o terceiro; Coreia do Sul, o quinto; além do Chile, o melhor colocado da América Latina, e do Canadá, que, com sua política de imigração integradora, se mantém entre os sete melhores. O Brasil, que ocupa a 53ª colocação, também foi pesquisado.

São sete episódios, como informa o site do Canal Futura:
"Os seis primeiros vão mostrar a realidade educacional país a país. Intimista, a série entra na sala de aula, se aproxima dos alunos, conversa com professores e vai até a casa dos estudantes para mostrar a rotina de estudos e conversar com os pais. A partir desses personagens, constrói o contexto político, histórico, social e cultural do local, além de colher depoimentos e análises de especialistas, entre eles o criador do PISA, Andreas Schleicher. No sétimo, o público acompanha um episódio mais geral para o fechamento de tudo o que se viu na série".

XANGAI, O NÚMERO 1

Iniciamos com o episódio 1: Xangai. Primeiro colocado no PISA, os entrevistados nesta cidade chinesa relatam que sua história está muito ligada a educação. Xangai é definida como uma janela para os dois lados: para quem vem de fora e quer ver a China, e pra quem é do interior e quer ver o mundo. É a prova dos progressos da China, uma metrópole internacional, uma supercidade, onde a mistura de culturas é seu traço principal.

Com as mudanças das ultimas três décadas, ocasionadas pela queda do mundo de Berlim e o fim da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), a China teve que "abrir a cabeça", abrindo suas portas para o intercâmbio de professores e alunos, tentando conhecer os últimos ideais educacionais e experiências de outros países, buscando um novo padrão a suas escolas.

No que se refere especificamente a Xangai, o padrão escolar diz respeito a área das escolas, que devem ter espaço, com prédios seguros e agradáveis; professores experientes, capazes e suficientes para bom atendimento da demanda; e boas bibliotecas. Este movimento, formado ao longo das ultimas décadas, alcançou seu padrão mínimo apenas nos últimos dez anos, momento a partir do qual busca-se elevá-lo. Dentre as principais características, fruto desta mudança, destaca-se: a) incentivo a cooperação entre escolas mais fortes e mais fracas, e não competição; b) reforma curricular focada no desenvolvimento dos estudantes, incluindo a experimentação (conhecimento vem da vida), a aplicação de métodos de organização do conhecimento; e livros didáticos feitos para que os estudantes tenham autonomia no estudos. Em essência, houve a mudança do olhar sobre as pessoas, antes vistas de maneira padronizada, sem personalidade, e agora trabalhando as diferenças individuais. 

Algumas especificidades são facilmente notadas. No que se refere as famílias, há muita rigidez e cobrança sobre os estudantes, com embate entre o estudo e o lazer. A regra familiar é priorizar os estudos. Música, passeios e outras atividades de lazer são permitidas apenas nos finais de semana e quando não há tarefas, "as vezes por apenas 15 ou 20 minutos". Ainda assim se considera uma experiência aberta. Pais entrevistados relataram que no tempo em que eram estudantes, os momentos de lazer eram ainda mais raros.

Física e Química são as disciplinas que têm a preferência dos estudantes entrevistados. A educação funciona em período integral, geralmente das 7h30min as 17h00 de segunda a quarta feira, até as 16h30min as quintas, e até as 14h00 as sextas. Para quem tem notas ruins há aulas extras na escola, e alguns pais chegam a contratar professores particulares para os domingos. Há comunicação intensa entre professores e diretores e pais dos estudantes. 

Os entrevistados consideram que a política do filho único tem influência sobre a Educação. Em geral, uma criança vivem rodeado por seis adultos em sua vida familiar (pais e avós), e isso faz com que a família de mais atenção a vida escolar dos jovens. 

No que se refere as escolas, há entendimento de que a Educação não se resume ao ambiente escolar. Todas as famílias são visitadas pela direção da escola, para entender o ambiente familiar de ensino fora da escola e o que os pais pensam da Educação. A rotina dos professores começa diariamente as 7h00 e vai até as 17h00, podendo ficar mais algum tempo se algum aluno precisar de auxílio. São duas aulas por dia, de 40 minutos cada. No restante do tempo os professores conferem os trabalhos dos estudantes (em duas horas), também preparam as aulas e reúnem-se com outros professores, atentando para aspectos a serem melhorados. Ao menos uma vez por semana professores da mesma disciplina se reúnem para relatar os conteúdos ministrados e verificarem as diferenças das turmas, com objetivo de aprenderem uns com os outros.

Professores do Ensino Fundamental possuem salário anual de R$25 mil, enquanto os do Ensino Médio recebem R$38 mil por ano. Socialmente são bem respeitados.

Atribui-se o bom desempenho de Xangai no PISA a fato de que os estudantes continuam a estudar em casa após as aulas e até nos finais de semana, e também porque os aspectos avaliados (habilidades em leitura, ciências e matemática) são os que eles são bons, mas se fossem avaliados criatividade ou potenciais pessoais, talvez não estivessem no topo.

Confiram o primeiro episódio abaixo.


SINOPSE
Com 20 milhões de habitantes, a província de Xangai, na China, até parece um país. Melhor colocada em todo mundo no PISA, tem liberdade para inovar e adaptar as rígidas regras do governo chinês e oferece uma educação de qualidade excepcional para os estudantes, inclusive os migrantes. Neste episódio, o público vai conhecer estudantes nota 10, pais exigentes e professores qualificados. Em Xangai, a dedicação ao ensino é  levada tão a sério que o Estado teve que criar leis para limitar as horas de estudo em casa. Tanto esforço tem bases históricas e culturais, principalmente na ênfase da educação como mecanismo de ascensão social ao longo da história.

Nenhum comentário: