sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Curta Sexta Curta 21 - Aruanda

por Julio Canuto

Após exato 1 ano, o Curta Sexta Curta volta ao blog na semana do dia da consciência negra com a exibição do documentário Aruanda, dirigido por Linduarte Noronha em 1960. Diferente do que costumamos fazer, hoje começo pela sinopse:
Os quilombos marcaram época na história econômica do Nordeste canavieiro. A luta entre escravos e colonizadores terminava, às vezes, em episódios épicos, como Palmares. Olho d´Água da Serra do Talhado, em Santana do Sabugi (PB), surgiu em meados do século passado [leia-se séc. XIX], quando o ex escravo e madeireiro Zé Bento partiu com a família à procura de terra de ninguém (site Porta Curtas).

Peço que repare e reflita.

Repare bem nas motivações da migração e da fixação de Zé Bento naquela região da Paraíba. Em primeiro lugar liberdade, em segundo lugar a água.

Repare também nas técnicas de construção, de plantio, o papel de cada membro da família, a alimentação das crianças, os recipientes.

Depois, já após a abolição, repare na chegada dos novos moradores. Repare a comunidade que se forma e tem a cooperação no trabalho como base, bem como a comunhão de valores-motivações.

Repare na diversidade de saberes da gente simples. Repare nos vasos de barro tão bem moldados e construídos, a riqueza de detalhes, a arte e a utilidade. A cultura! "A indústria primitiva do fabrico de objetos domésticos, onde a mulher é a única operária".

Repare na importância dos recursos naturais.

Pense no que os identifica como comuns. E repare também na relação deste grupo de pessoas com o mundo através do comércio, do dinheiro. 

"Um estado social isolado à parte do país". Isto é, por um lado mantém contato com os valores dominantes, possuem uma economia que se iguala em forma as outras regiões; mas por outro lado estão à margem. O povo que transita pelas vilas, misturam-se nas feiras, mas se diferem ao final da atividade comercial.

Pense na inclusão, pense na exclusão. Pense no que faz uma nação...

Um verdadeiro território afetivo e identitário: uma "naçãozinha", conforme definição de um morador de Bofete (interior de São Paulo), registrada por Antônio Cândido lá pelos anos de 1950 e publicada em seu clássico Os Parceiros do Rio Bonito, onde analisa a modernização do meio rural na "Paulistânia", mas que cabe também aqui nessas reflexões.

Gênero: Documentário 
Diretor: Linduarte Noronha 

Duração: 20 min     
Ano: 1960     
Bitola: 35mm 
País: Brasil     
Local de Produção: RJ 
Cor: P&B 



ARUANDA

Nenhum comentário: