terça-feira, 22 de janeiro de 2013

O grafite no mundo

por Julio Canuto

GFA


Imagem divulgação. Fonte: Folha de S.Paulo

"O grafite faz parte da vida de quem mora em São Paulo. É muito difícil uma pessoa que mora aqui não ter se deparado com obras espalhadas pela cidade". Essas são palavras de Binho Ribeiro, em entrevista a Folha de S.PauloDe fato estamos cercados por arte em São Paulo, do centro as periferias, e embora alguns ainda torçam o nariz, há vários "painéis" muito criativos, provocando nossa atenção e reflexão, assim como outros apenas enfeitando comércios e empresas, aos olhos de quem quiser parar, olhar e observar.

Ribeiro é curador da 2ª Bienal Internacional Graffiti Fine Art, que começa hoje, 22 de janeiro, e vai até 17 de fevereiro no MuBE (Museu Brasileiro da Escultura). A mostra traz 50 artistas, sendo 20 de São Paulo. O acesso é gratuito como nos muros da capital.  Maiores informações CLIQUE AQUI

O curador também destacou que São Paulo é uma referência internacional no estilo pela relação única entre grafiteiros, população, poder público e empresas. "É um tipo de relacionamento que não acontece da mesma forma em outros países do mundo." - disse Ribeiro na mesma entrevista.

Uma edição paralela do evento ocorre no Matilha Cultural, uma lugar muito bacana que fica na Rua Rego Freitas, 542, centro de São Paulo, e vai de 26 de janeiro a 23 de fevereiro. Vale a pena passar pelo espaço e, de quebra, ainda curtir as atrações que ocorrem durante a semana, em especial o jazz nas quintas e o hip-hop, soul, funk, black etc, etc... nas sextas.

Imagem divulgação. Fonte: Folha de S.Paulo







STREET ART VIEW 

Embora a rua seja o local de exposição do grafite, podemos encontrá-lo em exposições como a citada acima e também em livros, revistas e, claro, na web.

Dias atrás conheci o site Red Bull Street Art View, que é uma coleção colaborativa que mostra a arte de rua em todo o mundo, através do recurso Google Street View. Através desta ferramenta qualquer pessoa pode ter acesso aos grafites espalhados em locais muito distantes, como a Nova Zelândia, por exemplo, ou mesmo descobrir grafites próximos da residência. Pode também publicar o arte que vê pelas ruas ou, quem sabe, as que você mesmo fez, além de adicionar o endereço e informações do artista.
http://streetartview.com/#

BANKSY

Por fim, quero deixar uma ótima dica a quem curte os trabalhos de Banksy. 

Já no segundo semestre de 2012, a editora Intrínseca lançou o livro "guerra e spray". São 240 páginas com fotos e textos de Banksy. 

Abaixo a capa e sinopse (do site da Livraria da Folha): 

Ninguém sabe quem é Banksy, o artista do estêncil e do spray que tem deixado a marca de sua irreverência em paredes de cidades do mundo inteiro, de Londres à Palestina. Sabe-se apenas que teria nascido em Bristol, no sul da Inglaterra, onde iniciou suas atividades.

A obra de Banksy, porém, é inconfundível: ratos de guarda-chuva, macacos ameaçando dominar o mundo, inusitados sinais de trânsito e comentários mordazes sobre a sociedade contemporânea, o consumismo, as guerras e o conformismo.
Sua arte em grafite ganhou fãs em toda parte, é amplamente reproduzida pela internet e já foi vendida por mais de 50 mil libras em leilões.
'Guerra e spray' reúne o melhor de seus trabalhos e expõe alguns de seus pensamentos nas palavras do próprio Banksy. Além das obras criadas para as ruas, o livro inclui também intervenções que o artista fez em locais privados, como museus de Nova York e o zoológico de Barcelona.



Nenhum comentário: