segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Criadores falam sobre conta falsa no Instagram que mostra a jornada de um migrante

"Nós ficamos chocados ao vê-la publicada", diz a TIME produtor espanhol por trás da conta de "Abdou Diouf"

Olivier Laurent*/TIME - ago/2015
Tradução: Leonardo André









  • A super moto para a primeira fase. Eu não sei o que nos espera. Problemas, lágrimas e frio, mas estou confiante que agora meu amigo Hagi vai me levar para Nouadhibou.


  • Dois dias de caminhada. O guia diz que não posso parar. Ou vamos perder dois mil euros que eu paguei ao barco para atravessar.


  • Escondido na parte de trás de um tronco. Tentando atravessar a fronteira. Sem ar. Minhas pernas doem. Me deseje sorte.


  • Correndo para o futuro. Estamos em Marrocos. O sonho está mais perto. Sem olhar para trás.


  • Finalmente, a terra de oportunidades. Estamos cansados, mas felizes. Viagem muito perigosa.


  • As boas-vindas da polícia perto da praia, eles não são amigos de sonhadores ilegais.


  • Cobertores térmicos antes de ir para o centro de internamento. Eles chamam isso CIE. Não é um bom lugar para ficar.






Uma conta Instagram que pretendia mostrar as adversidades de um migrante senegalês ao embarcar em uma viagem ilegal para a Espanha acabou por ser uma estratégia de campanha para promover um festival de fotografia.

Lançada há uma semana, a conta queria mostrar como "Abdou Diouf" deixou Dakar, sua terra natal no Senegal, para encontrar uma vida melhor na Europa. As imagens – todas autorretratos – mostram Diouf em vários estágios de sua "viagem". Em uma imagem, ele é visto embarcando em um pequeno bote flutuante, enquanto outra mostra sua chegada à costa espanhola.

A conta tornou-se viral no fim de semana após o Huffington Post escrever sobre a jornada de Diouf. No entanto, como a atenção internacional voltou-se para as postagens misteriosas de Diouf e seu uso de hashtags ainda não relacionadas, a conta foi considerada falsa. Segundo Oriol Caba produtor da Volga, uma empresa de produção espanhola, trata-se de uma campanha para um festival internacional de fotografia em Getxo na Espanha.

O Getxophoto festival contratou a Volga e o estúdio Barcelona Manson para produzir uma série de vídeos e imagens que promovessem o evento, bem como levantar questões sobre o uso da fotografia na sociedade de hoje.

"Nos países desenvolvidos, há uma utilização da autoimagem que não é comum a outras partes do mundo", diz Caba. "[Nós queríamos] mostrar como a banalidade do tratamento da autoimagem poderia ser usada para produzir uma imagem de si mesmo, mas em um contexto muito diferente do real, como as viagens perigosas e traumáticas de pessoas que embarcam em busca de uma vida melhor. Nós pensamos que era forte e poderoso o suficiente para fazer uma demonstração e levantar questões".

A conta falsa também foi uma forma da organização do festival mostrar como a "narração da realidade sempre está nas mãos de pessoas com poder, e não nas mãos de pessoas que vivem essa realidade", diz Caba.

Mas todos os envolvidos dizem que não imaginavam que a conta chamaria tanta atenção internacional. "Ficamos chocados ao vê-la publicada no Huffington Post e ver outras organizações de mídia segui-los", diz Caba à TIME. "Nós nunca havíamos pensado sobre a questão do poder dessas organizações. Eu acho que a necessidade de vender, ter visitas e ser o primeiro a publicar está baixando os padrões de notícias".

O resultado final, segundo comunicado do festival, oferece "uma reflexão sobre a forma como processamos e compartilhamos as imagens de deslocamentos e migrações na grande mídia e nas redes sociais."

Agora, o festival está pronto para potenciais reações. "Não vai ser surpreendente para nós se formos acusados ​​de banalizar este problema", diz Caba. "Mas nós já podemos ver isso todos os dias na passividade das pessoas e governos [confrontados] para a questão da imigração em cada cidade europeia”.

"Temos muito respeito por pessoas que passar por essas lutas inacreditáveis", ele acrescenta.


______________________________________________


* Olivier Laurent é o editor de TIME LightBox. Siga-o no Twitter e no Instagram

Veja o original em time.com


***

Nenhum comentário: