quarta-feira, 19 de agosto de 2015

O Assassinato de Trotsky e a Lata de Lixo da História




Foi um assassinato. Mas foi, sobretudo, uma tragédia política que marcou profundamente o século passado e deixou feridas ainda não cicatrizadas.
No dia 21 de agosto completam-se 75 anos do atentado que tirou a vida de Leon Trotsky, uma das mais fascinantes figuras surgidas antes, durante e depois da revolução que acabou com o império russo e criou o primeiro país comunista, a União Soviética, desaparecida aos 74 anos.
O Nobel de literatura, Romain Rolland, ao terminar uma peça teatral sobre Robespierre, escreveu a um amigo: “É simplista acreditar que a revolução francesa foi demolida pelos seus inimigos – ela foi destruída por dentro, por revolucionários autênticos”.
Preferido por Vladimir Lenin para sucedê-lo, Trotsky foi perseguido de forma implacável por Joseph Stalin. Além do despeito pela preterição, o ex-seminarista Stalin não suportava o brilho intelectual do jornalista, orador e criador do Exército Vermelho. Mas as diferenças táticas e ideológicas pesaram muito.



Por Alberto Dines em 11/08/2015 - Observatório da Imprensa

***

Nenhum comentário: